Pira indica: Filme

Marat Sade –  Reino Unido, 1966 – baseado na peça escrita por Peter Weiss em 1960.Imagem

 

Dentro de um manicômio, Marquês De Sade dirige a peça “Perseguição e Assassinato de Jean-Paul Marat”. O cenário é uma “sala de banhos” de um manicômio, os atores são os próprios internos e a platéia é a burguesia parisiense, separada dos atores por grades de ferro, como as de uma prisão. Ainda dentro do ambiente da peça está o diretor do hospital, que intervem com frequência censurando as cenas.

Jean Paul Marat foi um dos líderes da Revolução Francesa, o contexto de seu assasinato é aqui utilizado para incitar questões como política, sexualidade e violência social. Além do assassinato de Marat, outra parte desta peça pode ser considerada verídica: Sade costumava mesmo praticar um tipo de teatro terapêutico em sua estada involuntária no manicômio de Charenton.

Vale lembrar que foi na época da gravação do filme (anos 60) que os pioneiros da crítica à psiquiatria clássica, como Franco Basaglia e David Cooper, passaram a se manifestar com mais veemência contra as práticas manicomiais.

Além disso, Michel Foucault cita Marquês De Sade em sua obra “História da Loucura na Idade Clássica”, como o primeiro homem a ser diagnosticado como perigoso devido a seus “desvios sexuais”. Até então estes eram considerados casos médicos, e não de polícia. Isso acontece porque, primeiramente Sade foi considerado louco, mas depois seu diagnóstico fora revisto e ele considerado um criminoso moral, que estaria melhor numa cadeia do que num hospício.

Anúncios

PIRA indica: Filmes

O Coletivo PIRA indica mais dois filmes!

O Solista, EUA/Reino Unido, 2009. Direção de: Joe Wright.

Steve Lopez é um colunista famoso do Los Angeles Times e vive em busca de uma história incomum. Em um dia como outro qualquer, não exatamente em sua busca por uma matéria, ele ouve na rua uma música e descobre Nathaniel, tocando muito bem num violino de apenas duas cordas. Seu nome é Nathaniel Ayers, um dos milhares de sem teto das ruas de Los Angeles, ex-músico que sofre de esquizofrenia, sonha em tocar num grande concerto e é um eterno apaixonado por Beethoven. Lopez prepara uma coluna sobre sua descoberta e recebe de um leitor, como doação, um instrumento para o músico. É o começo de uma interessante amizade.

Febre do Rato, Brasil, 2012. Direção de Cláudio Assis.

Febre do Rato é uma expressão popular típica da cidade do Recife que designa alguém quando está fora de controle, alguém que está danado. E é assim que Zizo, um poeta inconformado e de atitude anarquista, chama um pequeno tablóide que ele publica com o próprio dinheiro. Na cidade úmida e escaldante, enfiada na beira de mangues e favelas, Zizo alimenta sua pena, seu sarcasmo, sua grossa ironia. As coisas caminham de maneira descontrolada, mas ao mesmo tempo todas as relações estão estabelecidas em cima do mundo que Zizo criou e alimentou para si mesmo.

Saudações Antimanicomiais,
Coletivo PIRA

PIRA indica: Filmes & Loucura

O que vocês acham de trocarmos sugestões sobre o que nos afeta?

Nós do Coletivo PIRA tivemos a ideia de sugerir aqui no blog filmes, livros, historias de vida e outras produções das mais variadas para que esse espaço também seja de trocas de criações e experiencias. Se você tem qualquer ideia a sugerir, envie-nos um recado no facebook ou nos mande um e-mail (pirantimanicomial@gmail.com)!

PIRAindica: Alguns Filmes & A Loucura

Menos que Nada, 2012, Brasil. Direção de Carlos Gerbase.
“Menos que nada” é a história de Dante, sujeito internado há dez anos num hospital psiquiátrico. Ele é considerado um caso perdido, até que uma jovem médica decide tratar dele e estudá-lo. Ao investigar o passado de Dante, surgem três personagens importantes – seu pai, uma amiga de infância e uma importante cientista, por quem Dante estava apaixonado. Nem todos eles querem revelar o que sabem.

(Indicado por Felipe Brognoli).

The Bridge (A Ponte), 2006, Inglaterra/EUA. Direção de Eric Steel.
A ponte Golden Gate, em São Francisco, é um dos maiores pontos turísticos dos EUA. O que poucos sabem é que o local não atrai somente turistas, mas também suicidas. Tanto que a ponte é o lugar que atrai mais pessoas com potencial suicida. Em 2004, Eric Steel e sua equipe filmou dois pontos da ponte, durante o dia, registrando os últimos momentos de mais de vinte pessoas e impedindo mais algumas de cometer suicídio. O filme também conta com depoimentos de amigos e familiares dessas pessoas.

(Indicado por Leonardo Bitencourt).

Réquiem Para Um Sonho, 2000, EUA. Dirigido por Darren Aronofsky.
O roteiro é uma adaptação de um livro de mesmo nome escrito por Hubert Selby Jr. e publicado em 1978. O filme trata de uma jornada profunda no mundo das drogas através de quatro personagens principais. A mãe torna-se viciada em comprimidos para emagracer, enquanto o filho injeta-se todos os dias com seus amigos e namorada. Suas vidas logo se tornarão um inferno.

(Indicado por Maria Luiza Rovaris).

Saudações antimanicomiais!
Coletivo PIRA

Ciclo de Documentários: História e Loucura, na UDESC

Ao longo desse semestre, haverá um Ciclo de Documentários sobre História & Loucura no Centro de Ciências da Educação (FAED), na UDESC. Os encontros ocorrerão nos dias 31/07, 11/09, 18/10 e 05/11!

A primeira exibição será na próxima semana, no dia 31/07 às 17h30, com o documentario “Em nome da razão“. Lembrando que no dia 18/10, o comentarista Felipe Brognoli é membro e fundador do Coletivo PIRA. Estaremos lá!

Saudações Antimanicomiais,
Coletivo PIRA